fbpx

A queda das ações tecnológicas

⏱️ Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Ações de algumas das  empresas mais valiosas do mundo no setor tecnológico, como a Apple ($AAPL), Facebook ($FB), Microsoft ($MSFT) e Amazon ($AMZN) caíram cerca de 10% esta segunda-feira. Como consequência, devido ao grande peso que as mesmas apresentam no índice S&P500 ($GSPC), o índice financeiro caiu 1,3%, atingindo o seu nível mais baixo desde o final de julho.

“Estas empresas são uma grande fatia do mercado. É difícil compensar este tipo de queda com as outras 495 ações do índice S&P500”, disse Mark Stoeckle, diretor executivo da Adams Funds.

A Facebook foi uma das empresas que teve o pior desempenho no índice S&P 500, com uma queda de 4,9%, em grande parte devido ao apagão mundial e à falha dos serviços do Facebook, Messenger, Instagram e WhatsApp que ocorreu no início da semana. Mas a verdade é que a reputação tanto da maior rede social do mundo, como da indústria tecnológica, têm decrescido nas últimas semanas, sendo a queda de 7,5% do Nasdaq Composite ($IXIC) prova disso.  As ações da Alphabet caíram 57,67 dólares (2,1%) e a Amazon 93,48 dólares (cerca de 2,9%).

As empresas tecnológicas foram um grande refúgio e auxílio para os investidores na altura da pandemia, mas a remoção dos estímulos à crise, o aumento dos rendimentos, preocupações com a inflação e com as políticas da FED (Reserva Federal dos EUA) tiveram um impacto negativo para estas ações tecnológicas. Este tipo de ações são essencialmente sensíveis ao aumento das taxas de juros, pois as suas avaliações dependem de grandes lucros em crescimento no futuro. 

Tapering está a ficar mais restrito para as ações, mesmo que não esteja a ficar para a economia – a consideração mais importante para a FED”, afirmou Mike Wilson, estrategista de ações no Morgan Stanley. “Em suma, taxas de juro reais mais elevadas deveriam significar preços de ações mais baixos.” Tapering, “afunilando” ou “afinando” em português, reflete uma retirada gradual dos estímulos monetários. 

Para o analista Dan Ives da Wedbush Securities, este é apenas um momento passageiro que vai acabar por passar, como tudo. Afirma que as preocupações em torno do aumento dos rendimentos e da valorização das ações darão lugar a uma recuperação no final do ano de pelo menos 10% no setor tecnológico. 

A Europa também apresentou as suas dificuldades. O índice STOXX 600  ($STOXX) caiu pela terceira vez consecutiva, com uma queda de 0,5%, logo após ter tido uma queda de 2,2% na semana passada. Já na Ásia, o índice de mercado de ações Hang Seng ($HSI) de Hong Kong, encerrou o dia com uma queda de 2,2%.

No mercado das commodities, o preço do petróleo atingiu o ponto mais alto em sete anos, uma vez que a OPEC (Organization of the Petroleum Exporting Countries) concordou aumentar a produção, nas devidas proporções, decidindo não abrir mais torneiras.  O petróleo West Texas Intermediate, a referência dos EUA, subiu cerca de 2,3% para 77,62 dólares por barril, atingindo o seu nível mais alto desde novembro de 2014.

Autora: Margarida Fernandes

DEIXA UM COMENTÁRIO

Por favor, envie o comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

Subscreve a nossa Newsletter

Com o resumo das nossas notícias

Últimas notícias

Artigos Relacionados

spot_imgspot_img