YouTube é a rede social mais usada pelos adolescentes; Facebook cai para 5º

0
39
⏱️ Tempo estimado de leitura: 2 minutos

A Pew Research Center realizou um estudo em que foram analisados os hábitos online de 1.316 adolescentes norte-americanos, com idades entre os 13 e os 17 anos.

O estudo concluiu que apenas 32% dos adolescentes utilizam o Facebook, um enorme contraste com o estudo realizado pela mesma entidade em 2015, que concluiu que 71% dos adolescentes utilizavam o Facebook nesse ano. 

Apesar do CEO, Mark Zuckerberg, ter anunciado que a plataforma iria redirecionar o seu foco para atrair as faixas etárias mais jovens, esta tem visto o seu número de utilizadores adolescentes a cair de forma constante desde 2015. Parte da queda de interesse no Facebook advém do crescimento de outras redes sociais que são mais atrativas para os adolescentes atualmente, bem como a existência de alguns escândalos associados à plataforma.

Apesar de não poder ser considerada uma rede social como as outras plataformas, o YouTube é a plataforma mais popular entre os adolescentes, com 95% dos inquiridos a revelarem que a usam, e 19% a admitir que usam o YouTube de forma “quase constante”.

Sem surpresas para os investigadores, o Tik-Tok ocupa o segundo lugar no ranking, com 67% a dizer que usam a plataforma, e 16% a admitirem que a usam de forma “quase constante”.

No entanto, nem tudo foram más notícias para a Meta ($META), dona do Facebook e do Instagram, que viu esta última plataforma a ocupar o terceiro lugar no ranking, sendo usada por 62% dos adolescentes, com 10% a admitirem que a usam “quase constantemente” para ver vídeos e fotos.

O Snapchat ($SNAP) foi uma das plataforma que viu a sua popularidade subir entre os adolescentes desde 2015, com o número de adolescentes que usam a plataforma a passar dos 41% para os 59%. Tanto o Twitter ($TWTR) como o Tumblr caíram, 10% e 9% respetivamente, para os 23% do Twitter, e os 5% do Tumblr. A Twitch (20%), o WhatsApp (17%) e o Reddit (14%) não foram incluídos no estudo de 2015.  

Houve também plataformas que deixaram de existir desde 2015. Na altura, 33% dos adolescentes usavam o Google+ e 24% usavam o Vine, porém ambas as plataformas já não estão operacionais apesar da sua relativa popularidade há 7 anos.

Noutra parte do estudo, os participantes foram inquiridos sobre os dispositivos que tinham ou à qual têm acesso. Os smartphones foram o número um com 95%, bem acima dos 73% que tinham registado em 2015. Em segundo lugar encontram-se os computadores, com 90% contra os 87% em 2015, seguidos das consolas de jogos que registaram 80%, ligeiramente abaixo dos 81% de 2015.

O estudo concluiu também que mais de metade dos adolescentes (54%) não conseguiria desistir das redes sociais, e 36% admitiram que passam muito tempo nas redes sociais. Quanto ao número de utilizadores diários de internet, esse subiu de 92% em 2015 para 97%.

DEIXA UM COMENTÁRIO

Por favor, envie o comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui