Venda massiva de ações surpreende Wall Street no fim do mês

A venda em massa de blocos de ações de empresas chinesas do ramo tecnológico e de conglomerados norte-americanos dos media abalou Wall Street na passada sexta-feira, 26 de março. Esta venda, em grande escala, de ações de firmas chinesas e americanas conduziu a um decréscimo acentuado do valor das mesmas. De facto, este movimento reduziu o valor de grandes empresas em, aproximadamente, 33 mil milhões de dólares. 

A Goldman Sachs ($GS) liquidou 10,5 mil milhões de dólares em ações antes da abertura do mercado na sexta-feira. Ações das empresas Baidu Inc ($BIDU), Tencent Music Entertainment Group ($TME) e Vipshop Holdings Ltd ($VIPS) no valor de 6.6 mil milhões de dólares estiveram envolvidas na venda. Mais tarde, a Goldman alienou o equivalente a 3.9 mil milhões de dólares de ações da ViacomCBS ($VIAC), Discovery Inc ($DISCA), Farfetch Ltd ($FTCH), iQIYI Inc ($IQV) e GSX Techedu Inc ($GSX). Este movimento inesperado levou a uma queda de cerca de 27% no valor das ações da ViacomCBS e da Discovery.

A Morgan Stanley ($MS) também esteve envolvida nesta onda de vendas. Na manhã de sexta-feira, dia 26, a firma alienou o correspondente a 4 mil milhões de dólares em ações, tendo ainda alienado outros 4 mil milhões de dólares da parte da tarde.

A nova diretiva imposta pela Securities and Exchange Commission (SEC) exige que as companhias chinesas listadas nos Estados Unidos submetam documentação no que concerne à sua influência e afiliação governamental, portanto a negociação de blocos de ações de empresas tecnológicas chinesas listadas na América do Norte era previsível. Contudo, ações de grupos não chineses seguiram a tendência.

As oscilações no valor das ações originadas pela venda de quantidades significativas de ações aumentaram a especulação entre investidores e analistas relativamente à misteriosa entidade responsável pela negociação de blocos de ações. Mais tarde no domingo, dia 28, foi revelada a fonte deste fluxo inimaginável de venda de ações, a family investment office Archegos Capital Management.

A Archegos é um firma de investimento privada que gere e investe o património de famílias com posses, nomeadamente, nos EUA, China, Japão, Europa e Coreia do Sul. Bill Hwang, antigo analista da Tiger Management e criador da Tiger Asia, é o fundador e  atual CEO da Archegos Capital. Bill Hwang, em 2012, foi condenado ao pagamento de 60 milhões de dólares em indemnizações, devido ao uso ilegal de informação sigilosa na negociação de ações chinesas.

A negociação de blocos de ações por parte da Archegos, ultrapassando os 20 mil milhões de dólares no valor das ações, deve-se às designadas margin calls, isto é, ao valor imposto como garantia em certas operações financeiras de maior risco, face a posições extremamente alavancadas. Na verdade, quando o valor de uma conta é inferior ao requisito de margem, as posições podem ser automaticamente fechadas com o propósito de aumentar a margem de garantia.

 

Autora: Beatriz Domingues Pereira | Fonte: Financial Times

DEIXA UM COMENTÁRIO

Por favor, envie o comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

spot_imgspot_img

Últimas notícias

Receba o ebook "Os primeiros investimentos" GRATUITAMENTE

Basta carregar no botão abaixo

Artigos Relacionados

spot_imgspot_img