Tesla Model Y foi o best-seller na Europa em setembro

O parque automóvel mundial está a verificar alterações significativas em relação entre o rácio entre elétricos e veículos movidos a combustão. Em setembro o mercado europeu confirmou a tendência de retoma que se faz sentir há dois meses. No total, foram comercializados 1 038 481 automóveis novos, mais 7,5% do que em setembro de 2021.

Como tem sido a norma desde a pandemia, é difícil fazer uma análise correta da evolução individual de cada marca olhando apenas para os números. As várias crises que afetam a indústria automóvel, desde a escassez de semicondutores, aos problemas logísticos causados pelo encerramento de portos chineses devido à pandemia, até ao conflito na Ucrânia, têm sido fatores decisivos na performance (possível) de muitas marcas.

Ainda assim, no que toca à atividade da norte-americana, é possível constatar alguns factos curiosos. A boa performance do Model Y, por exemplo, refletiu-se na performance da Tesla durante o mês de setembro, onde as 41 611 unidades vendidas foram superiores às conseguidas pela Opel (36 441), Citroën (34 489) e Fiat (31 202).

O Tesla Model Y ainda não é o carro mais vendido do mundo como prevê Elon Musk, mas o crossover norte-americano conseguiu um feito histórico sendo o líder de vendas no mercado europeu no passado mês de setembro.

De acordo com os dados da JATO Dynamics, no total foram comercializadas e entregues 29 367 unidades do Model Y em setembro, um aumento de 227% face ao mês homólogo de 2021, com a produção europeia do modelo em Berlim-Brandenburg a ser decisiva para este resultado.

A contribuir para cada vez mais Teslas nas estradas europeias, o Model Y foi ainda o modelo mais vendido na Áustria, Suíça, Letónia e na Alemanha, um sinal de sério alerta ao “império” Volkswagen que há muito está presente entre os germânicos.

Por outro lado, o crescimento das marcas chinesas na Europa também é outro fator a ter em conta. Em setembro venderam-se cerca de 20 mil unidades de modelos de marcas chinesas, onde se inclui a britânica MG, que foi a mais vendida com 13 924 unidades. As 20 mil unidades representam um crescimento de 91% face a 2021 e uma quota de mercado de 1,9%.

Perante este crescimento da Tesla na Europa, surgem tempos de inovação desafiantes para as restantes produtoras e para novas parcerias como por exemplo a Sony X Honda, que estão agora juntas para pôr os valores japoneses nas estradas mundiais.

spot_imgspot_img

DEIXA UM COMENTÁRIO

Por favor, envie o comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

spot_imgspot_img

Últimas notícias

Subscreve a nossa Newsletter

Com o resumo das nossas notícias

Artigos Relacionados

spot_img