Subida dos juros impacta dívida pública detida pela banca

spot_imgspot_img

Segundo os economistas contactados pela Agência Lusa, a subida das taxas de juro significará perdas na rentabilidade da elevada dívida pública que os bancos portugueses detêm, mas não é um risco para o setor, que será, sobretudo, beneficiado na margem financeira que detêm.

A realidade do sistema bancário nacional é caracterizada pelo elevado montante de dívida pública em carteira e quando a dívida pública se valoriza nos mercados, os bancos registam mais-valias, camuflando os lucros obtidos.  Pelo contrário, quando se desvaloriza tal significa menos-valias (perdas nesse investimento), o que pode ter impactos nos rácios de capital, situação que se verifica nos dias de hoje.

Rafael Quina, diretor da Fitch Ratings, considerou que o aumento das taxas de juro dos títulos soberanos portugueses não é visto atualmente “como um risco sistêmico”, já que, ainda que alguns bancos sejam mais vulneráveis, o “setor reforçou consideravelmente a sua posição de capital”. A Fitch estima que os principais bancos portugueses (CGD, BCP, Santander Totta, BPI, Novo Banco e Montepio) detenham cerca de 51 mil milhões de euros em dívida soberana (portuguesa, espanhola, italiana, etc.), devendo a exposição à dívida de Portugal ser de 24 mil milhões de euros.

Por bancos, considera que os rácios de capital do BCP e, em certa medida, do Novo Banco “parecem mais sensíveis às variações das yields soberanas”, pois “têm uma parcela maior de títulos registados a valor justo”. Já o Montepio, apesar da posição de capital inicial mais fraca, “tem perto de 100% das suas carteiras de obrigações soberanas registadas ao custo amortizado, o que significa que o seu rácio de capital é menos sensível a variações das ‘yields’ soberanas”.

Análises semelhantes são realizadas pelos vários analistas das agências de ‘rating’ que acompanham a banca portuguesa e que relatam que, realmente, há risco de perdas mas não a ponto de criar instabilidade no setor bancário, levando a situações de maior impacto em termos estruturais.

spot_imgspot_img

DEIXA UM COMENTÁRIO

Por favor, envie o comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

Últimas notícias

Subscreve a nossa Newsletter

Com o resumo das nossas notícias
spot_imgspot_img

Artigos Relacionados

spot_img