Os 10 melhores empreendedores de Portugal

⏱️ Tempo estimado de leitura: 5 minutos

De acordo com um artigo divulgado pela Atlantic Hub, o padrão pouco empreendedor em Portugal alterou-se de forma drástica a partir do último quartel do século passado. Na verdade, o fim do Regime do Estado Novo e a adesão à Comunidade Económica Europeia (atual União Europeia) propiciaram condições macroeconómicas favoráveis e expetativas dos cidadãos, culminando no surgimento de movimentos empreendedores no nosso país. Portugal é o segundo país da União Europeia com a taxa de nascimento de novas empresas mais elevada (15.75%).

Salientam-se como líderes deste novo movimento empreendedorfundadores do designado ecossistema empresarial em Portugal, as figuras presenteadas que mereceram um destaque em virtude da sua influência sobre a sociedade (desde 1960), ao invés do seu nível de riqueza.

1) António Champalimaud

O primeiro lugar deste ranking cabe ao empresário português António de Sommer Champalimaud (1918 – 2004), considerado em 2004 o homem mais rico do país.

Champalimaud dedicou-se à atividade seguradora, bem como à banca e à indústria do cimento, atividades que lhe lograram soberbos rendimentos. Contudo, após o 25 de abril de 1974, tais negócios foram nacionalizados, revertendo-se, deste modo, a situação económica do mesmo. Face à sua posição de extrema-direita, este empresário viu-se forçado a exilar-se no Brasil, local onde reconstituiu a sua fortuna. Passados sete anos de exílio, António Champalimaud regressou a Portugal com o intuito de adquirir tudo o que lhe já pertencera. Antes do seu falecimento, Champalimaud doou 500 milhões de euros para a constituição de uma fundação de investigação sobre o cancro, sendo atualmente uma das instituições mais relevantes neste campo, a nível internacional.

2) José Manuel de Mello

José Manuel de Mello (1927-2009), quarto lugar na lista supra identificada “Os Homens Mais Ricos de Portugal” com uma fortuna avaliada em 693,33 milhões de euros, foi um empresário português importantíssimo.

Destacou-se por virtude do seu contributo na maior instituição industrial em Portugal antes da Revolução de 1974 – CUF, como também na maior empresa de reparação de navios e uma das maiores empregadoras nacionais – Lisnave.

José Manuel de Mello também fundou, em 1983, o banco que viria a ser reconhecido como o Banco Mello e, que no ano de 1999, foi vendido ao grupo BCP. Realça-se também o seu papel crucial em empresas, tais como a EDP, a Efacec e a Brisa

3) Américo Amorim

Américo Amorim (1934-2017) fundou o Grupo Amorim, um grupo gigante, empreendedor e multinacional no ramo da cortiça, sendo, por isso, reconhecido como o “Rei da Cortiça”.

Em 2017, a Forbes avaliou a fortuna deste empresário em 4,4 mil milhões de dólares.

Segundo o atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, Américo Amorim foi um “visionário”, que deixou uma marca inigualável em setores económicos, nomeadamente, o da cortiça.

4) Belmiro de Azevedo

Belmiro de Azevedo (1938-2017), apesar de proveniente de famílias modestas, alcançou o segundo lugar no ranking dos homens mais ricos de Portugal na revista Forbes, publicado em 2008, com uma fortuna aproximada de 2 mil milhões de euros.

Com a parceria do banqueiro Afonso Pinto de Magalhães, o empresário, caracterizado como frontal, adquiriu todas as ações da SONAE, um grupo líder a nível nacional em áreas como o imobiliário e o retalho (hipermercados Continente) e possuidor de investimentos nos campos da saúde, do turismo, das telecomunicações e dos media. A SONAE também desenvolve operações em Espanha, Grécia, Alemanha, Itália, Turquia e Brasil.

5) Alexandre Soares dos Santos

Alexandre Soares dos Santos (1935-2019) foi considerado pela Forbes, em 2011, o segundo homem mais rico de Portugal, com uma fortuna estimada de 1,65 mil milhões de euros. Este iniciou o seu percurso bastante cedo na Unilever, inclusive no estrangeiro, designadamente, na Irlanda e na Alemanha. Posteriormente, dirigiu a área de Marketing desta empresa no Brasil. Em 1969, o falecimento do seu pai forçou-o a prosseguir os negócios da família, o grupo Jerónimo Martins, atual líder no mercado de distribuição alimentar.

Exerceu os cargos de Presidente do Conselho de Administração de entidades, tais como: Jerónimo Martins, Lever Portuguesa, Olá, Pingo Doce, Recheio, Pedras Salgadas, Azeite Gallo, entre outras.

6) José Neves

José Neves nasceu em 1974 e obteve realce na indústria futurista e altamente competitiva, a moda de luxo online.

Em 1996, criou uma empresa precursora de software para marcas de moda de pequena dimensão, a Platforme. Ainda nesse ano, inaugurou, com uma loja física na capital britânica, a Swear, a sua primeira marca de sapatos. Mais tarde, expandiu o seu negócio através da loja B Store para o local mais prestigiado da moda internacionalmente.

Recentemente, em 2008, o empresário criou uma plataforma online de moda de luxo mundial, a Farfetch, que o tornou bilionário (na terminologia americana). Volvida uma década, a plataforma de excelência global, proporcionou a José Neves uma fortuna avaliada em 1,2 mil milhões de euros.

7) Francisco Pinto Balsemão

Francisco Pinto Balsemão, nascido em 1937, é uma personalidade portuguesa muito marcante, devido aos seus projetos de comunicação e por ter desempenhado o cargo de primeiro-ministro (1981-83).

Pinto Balsemão contactou primeiramente com o jornalismo em 1961, tendo assumido a chefia da redação da revista “Mais Alto”, que é o órgão de comunicação da Força Aérea Portuguesa. Em 1963, criou o semanário “Expresso”, que é um marco no jornalismo e na vida política portuguesa. Este jornal esteve na base da fundação do Grupo IMPRESA, que possui o canal de televisão SIC, a Impresa Publishing, o jornal Blitz, as revistas Visão, Exame, Caras, Activa, etc.

8) Luís Portela

Luís Portela, nascido em 1951, é licenciado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e iniciou o seu percurso empresarial na empresa da família BIAL aos 21 anos. O médico e empresário possui uma fortuna avaliada em 502 milhões de euros.

A BIAL é uma empresa farmacêutica de inovação, reconhecida mundialmente por concessionar e comercializar medicamentos, nomeadamente o Zebinix (anti-epilético) e o Ongentys (Doença de Parkinson). Importa realçar que anualmente são apenas lançados cerca de vinte medicamentos novos no mercado a nível internacional.

9) Nuno Artur Silva

Nuno Artur Silva, nascido a 1962, é a nona personalidade deste ranking. Não obstante os seus rendimentos modestos em comparação com os demais empreendedores, Nuno Artur Silva impactou intensivamente o campo artístico-cultural.

Em parceria com certos colegas da faculdade, o empreendedor criou em 1993 as produções fictícias, um projeto nacional e cultural de enorme relevo.

Importa referir que programas tais como: “Gato Fedorento”, “Contra Informação”, “Herman José”, “O Homem que Mordeu o Cão” e o “Eixo do Mal” foram desenvolvidos por Nuno Artur Silva e pelos seus sócios.

A personalidade referida também fundou e dirigiu o Canal Q, administrou e desempenhou o cargo de assessor criativo de direção de programas da RTP (2015-2018) e organizou o projeto “O Gosto dos Outros” na Fundação Gulbenkian.

10) Manuela Medeiros

Esta lista encerra com uma presença feminina, Manuela Medeiros, uma mulher de negócios visionária, proativa, cautelosa e ambiciosa.

Em 1994, Manuela Medeiros, de 42 anos, estabeleceu na Rua de Santa Catarina, no Porto, a sua primeira loja. Vinte e cinco anos depois, a marca portuguesa de moda e acessórios já abria a sua milésima loja, desta feita em Paris.

A PARFOIS conta com lojas em mais de seis dezenas de países. Na realidade, 80% das lojas da marca encontram-se fora de Portugal.

Autora: Beatriz Domingues Pereira | Fonte

DEIXA UM COMENTÁRIO

Por favor, envie o comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

Última notícias

Artigos Relacionados

spot_imgspot_img