O que implica a possível subida das taxas de juro por parte do BCE?

O Banco Central Europeu, em particular o Eurosistema, é responsável pela definição e implementação da política monetária na Área Euro com o intuito de atingir o objetivo primordial do mesmo: a estabilidade de preços, a qual traduz-se numa taxa de inflação, no médio-longo prazo, com valor simétrico de 2%.

Posto isto, o BCE tem à sua disposição duas políticas monetárias de forma a aumentar ou diminuir a inflação: políticas monetárias convencionais e políticas monetárias não convencionais.

As políticas monetárias convencionais são políticas típicas e usuais implementadas pelo Eurosistema de forma a atingir o objetivo acima mencionado. Através de alterações das taxas de juro diretoras ( instrumentos fundamentais para a condução da política monetária), o BCE irá conseguir alterar os preços da Área do Euro.

Face à crescente inflação que assola todo o mundo, e, em particular, a Europa, a presidente do BCE, Christine Lagarde, confirmou que a entidade monetária começará a aumentar as taxas de juro em julho. 

Mas então o que significa este aumento das taxas de juro?

Estamos perante uma política monetária convencional do tipo restritiva que terá influência em diversos canais da transmissão da política monetária, os quais :

O aumento da taxa de juro diretora afeta diretamente a taxa de juro interbancária, fazendo com que o crédito fique mais caro. Se o crédito fica mais caro, as famílias e as empresas irão perder incentivo a consumir e a investir, respetivamente, o que levará a uma diminuição da procura interna e, consequentemente, diminuição da inflação.

Por outro lado, e numa perspetiva de curto prazo, esta diminuição da taxa de juro leva a que haja um aumento da procura de euros, gerando uma pressão para a apreciação da moeda nacional em termos nominais e em termos reais, gerando uma perda de competitividade externa ( nossas exportações ficam relativamente mais caras face às importações) e, por isso, a procura agregada irá diminuir.

No médio-longo prazo, a diminuição das taxas de juro geram expectativas de recessão económica, motivado pelas expectativas de deflação e da apreciação da moeda nacional, agravando ainda mais a procura agregada.

Em suma, esta diminuição da taxa de juro, se o mecanismo de transmissão monetária for eficiente, levará, é certo, à diminuição da inflação, mas irá agravar um problema ainda maior: recessão económica. 

spot_imgspot_img

DEIXA UM COMENTÁRIO

Por favor, envie o comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

spot_imgspot_img

Últimas notícias

Subscreve a nossa Newsletter

Com o resumo das nossas notícias

Artigos Relacionados

spot_img