O futuro da indústria dos Robo-advisors

⏱️ Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Os Robo-advisors são uma ferramenta de inteligência artificial que utiliza algoritmos computacionais para aconselhamento financeiro. Desde a sua criação, em 2008, que esta indústria tem tido um grande crescimento, atingindo um valor de 460 mil milhões de dólares em 2020. Alguns analistas acreditam que esta valorização deverá ter um grande incremento nos próximos anos, chegando a um valor de 1,2 biliões de dólares em 2024. 

Segundo Brian Concannon, diretor do departamento de aconselhamento digital da Vanguard, “Historicamente, os investidores têm tido duas opções no que diz respeito a gerir os seus investimentos. Eles podem geri-los por si próprios através de um online broker ou podem trabalhar com um analista financeiro. (…) Agora, com o aparecimento dos robo-advisors, existe uma terceira opção, que permite convergir os benefícios de uma gestão e aconselhamento profissional com a conveniência de uma aplicação 100% digital”. 

Um dos fatores que permitiu este crescimento tão elevado do aconselhamento financeiro via algoritmos foi um grande interesse e suporte por parte das chamadas Geração Z e Millennials. Segundo um estudo da Vanguard, estas gerações têm uma tendência duas vezes superior a aceitar o uso de robo-advisors, quando comparadas com os baby boomers. 

Muitos especialistas acreditam que existem aspectos da análise financeira nos quais os algoritmos conseguem uma melhor performance do que os humanos. No entanto, segundo Jason Snipe, Chief Investment Officer na Odyssey Capital Advisors, “faltará sempre um elemento humano. O meu problema (ao aceitar um aconselhamento 100% digital) será a resposta emocional. Vejamos a situação do ano passado, quando começou a pandemia de Covid-19 e os mercados estavam a movimentar-se imenso, algo dramático… Não podemos falar com tecnologia, certo?”

Deste modo, muitas das empresas que oferecem serviços de robo-advisor, como a Vanguard e a Betterment, começam a providenciar uma opção híbrida, que combina o serviço humano com o digital. De acordo com Concannon, muitos dos investidores, mesmo utilizando o aconselhamento digital, precisam do aval de um analista financeiro. Assim, este acredita que o sistema híbrido é a melhor solução, uma vez que permite que os clientes beneficiem dos avanços tecnológicos de uma análise técnica mais rigorosa e abrangente, ao mesmo tempo que, se sentirem necessidade, podem comunicar com um analista financeiro que verifique que todos os dados fazem sentido e lhes forneça o apoio emocional e a confiança que muitas vezes é necessária. 

Autor: João Rodrigues

DEIXA UM COMENTÁRIO

Por favor, envie o comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

Última notícias

Artigos Relacionados

spot_imgspot_img