Empréstimos à habitação abrandam pelo terceiro mês consecutivo

De acordo com os dados divulgados pelo Banco de Portugal, os portugueses estão a recorrer cada vez menos a crédito, tanto empresas como famílias. Este abrandamento é sentido de forma mais proeminente no crédito à habitação, o qual desacelerou pelo terceiro mês consecutivo.

100,1 mil milhões de euros

No final do passado mês de outubro, a dotação total de empréstimos à habitação situava-se nos 100,1 mil milhões de euros, ou seja, mais 0,1 mil milhões de euros do que no final de setembro de 2022. Comparativamente a outubro de 2021, é possível verificar um crescimento de 4,2%, contudo estamos perante o terceiro mês consecutivo de abrandamento.

Empréstimos ao consumo também abrandaram

Relativamente aos empréstimos ao consumo, estes também sofreram uma desaceleração, perfazendo 20,7 mil milhões de euros em outubro de 2022, o que apesar de tudo representa um crescimento de 6% face a outubro de 2021. 

Empresas recorrem menos a empréstimos

Já na esfera das empresas, os bancos concederam até ao final de outubro de 2022, 76,2 mil milhões de euros em empréstimos. A desaceleração das empresas neste campo foi mais saliente nas micro e pequenas empresas, assim como, nos setores do alojamento e restauração e das atividades de consultoria e administrativas. Em contrapartida, os empréstimos concedidos às grandes empresas e às organizações empresariais do setor do comércio foram objeto de uma aceleração.

Depósitos bancários

Além dos dados referentes aos empréstimos, o Banco de Portugal também divulgou dados relacionados com os depósitos, os quais indicam que no final de outubro de 2022, os depósitos de particulares totalizavam 182,1 mil milhões de euros e os das empresas 65,1 mil milhões de euros.

spot_imgspot_img

DEIXA UM COMENTÁRIO

Por favor, envie o comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

spot_imgspot_img

Últimas notícias

Subscreve a nossa Newsletter

Com o resumo das nossas notícias

Artigos Relacionados

spot_img