China introduz novas regras para IPOs no estrangeiro

⏱️ Tempo estimado de leitura: 2 minutos

A China propõe novas regras para IPOs de empresas chinesas do setor tecnológico em países estrangeiros, exigindo que quase todas as empresas que o pretendam passem por uma revisão de segurança cibernética. Esta medida tem efeitos, sobretudo, sobre a supervisão dos seus “gigantes” da internet.

As empresas que detêm mais de 1 milhão de utilizadores devem solicitar a aprovação da segurança cibernética antes de se listarem no estrangeiro, uma vez que os dados e as informações pessoais podem ser “afetados, controlados e explorados de forma fraudulenta pelos governos estrangeiros”, afirmou a Cyberspace Administration da China. Esta revisão da segurança examinará ainda os riscos potenciais de segurança nacional de IPOs no exterior, reforçou.

A medida anunciada este sábado visa tentar restringir as empresas de tecnologia chinesas de aumentarem capitais nos EUA por meio de um modelo Variable Interest Entity (VIEs), como adotaram a Alibaba Group Holding Ltd. ($BABA) e, mais recentemente, a Baidu Inc. ($BIDU) e a Didi Global Inc. ($DIDI). Os reguladores estão mesmo a considerar exigir o VIEs da Alibaba, que já se tornaram públicos, que procurem aprovação para ofertas de ações adicionais no mercado offshore.

O Conselho de Estado da China disse, na passada terça-feira, dia 6 de julho, que as regras das listagens no exterior serão revistas, enquanto as empresas de capital aberto serão responsáveis por manter os seus dados seguros.

O regulador procura, assim, um feedback sobre as novas regras antes da implementação, principalmente as que se aplicam às listagens em países estrangeiro. Até ao momento, neste ano, 37 empresas chinesas listaram-se nos EUA, levantando um total de 12,9 mil milhões de dólares americanos, de acordo com dados da Bloomberg.

Feng Chucheng, sócio da empresa de pesquisas Plenum, em Pequim, afirmou que “Estas regras irão forçar mais empresas chinesas a listarem-se em Hong Kong em detrimento de outros países”. Complementou ainda que, “O limite de um milhão de utilizadores é muito baixo, ficando a maioria das empresas tecnológicas que aspiram a uma IPO sujeitas a esta regra.”

Mesmo antes das regras serem anunciadas, algumas empresas que planeavam listar-se em Nova Iorque retiraram o seu pedido de IPO. Na quinta-feira, dia 8 de julho, a LinkDoc Technology Ltd., com sede em Pequim, tornou-se a primeira empresa reconhecida após as novas mudanças. Desde então, foi relatado que a aplicação de fitness chinesa “Keep” e a “Meicai”- uma startup chinesa que liga os restaurantes aos produtores de vegetais – cancelaram os planos de listagem nos EUA.

As novas regras podem impactar as empresas chinesas do setor tecnológico, nomeadamente a proprietária do TikTok, ByteDance Ltd., e a empresa de logística e entrega sob procura Lalamove, que estão a considerar IPOs.

Autora: Inês Pereira

DEIXA UM COMENTÁRIO

Por favor, envie o comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

Última notícias

Artigos Relacionados

spot_imgspot_img