Carros Usados: maior subida de preços em 68 anos 

Durante o mês de abril, deu-se a maior subida de preços no mercado de carros usados americano desde o início do seu registo. Os dados, fornecidos pelo U.S. Bureau of Labor Statistics (BLS), indicam que os preços subiram 9,6% no mês passado, relativamente a março, e cerca 21% em relação a abril de 2020.

De facto, o Consumer Price Index (CPI) de carros usados e camiões, nos Estados Unidos da América, alcançou valores recorde no mês passado, chegando ao preço de venda, nunca antes atingido, de 25.463 dólares americanos. Especialistas acreditam, porém, que esta tendência não vai ficar por aqui e preveem valores de inflação ainda maiores nos próximos meses.

Média de veículos usados nos EUA (em milhares) | Fonte
Média de veículos usados nos EUA (em milhares) | Fonte

Média de veículos usados nos EUA (em milhares) | Fonte

Qual a justificação desta subida de preços nos carros usados? 

Por um lado, a reabertura da economia e, consequentemente, o grande aumento da procura. Os consumidores americanos estão prontos para despender do seu dinheiro e da poupança que fizeram ao longo do confinamento, incluindo os seus stimulus checks.  Por outro lado, há uma grande procura de carros em específico. As pessoas que não viam a utilidade em comprar um carro durante a pandemia, têm agora a oportunidade e a necessidade de o fazer, devido ao termo do teletrabalho e ao início das férias de verão.

Por último, os carros novos estão a ser afetados por uma escassez de chips de computador, que está a prejudicar fortemente a fluidez da indústria automóvel. A falta de semicondutores pode custar, aos fabricantes de veículos, mil milhões de dólares, e já gerou menores taxas de produção de carros, impedindo assim, a satisfação da procura. A Tesla ($TSLA) é um bom exemplo desta situação, tendo revelado, Elon Musk, que a produtora de automóveis está a sofrer, devido às falhas na cadeia de fornecedores e à escassez de chips

Resumidamente, o que está a acontecer é que a recuperação da procura no pós-pandemia, está a ser mais rápida do que o ritmo a que a economia consegue criar oferta no curto prazo, criando assim um cenário de inflação.  

Que outros bens estão a ser afetados? 

Os carros usados não são um caso isolado. De facto, as falhas gerais na cadeia de fornecimento, que persistiram durante a pandemia, e as fábricas que tiveram de interromper a sua produção por razões de segurança, levaram a uma escassez de bens por toda a economia. Até ao dia de hoje, já foram apontadas carências em recursos como o milho, a gasolina, a mobília, as fraldas e até mesmo galinhas. No entanto, especialistas apontam para os hotéis e as passagens aéreas como sendo as próximas “vítimas”. 

Segundo um relatório recente da US Travel Association, as viagens de verão nos Estados Unidos estão prestes a “explodir”. Sendo que 72% dos americanos estão a planear as suas férias de verão em 2021, o que é um número bastante positivo a comparar com os 37% do ano passado. Isto pode representar um desafio para a indústria, que se deve reorganizar, após mais de um ano de escassa atividade. 

Autora: Leonor Ramos

DEIXA UM COMENTÁRIO

Por favor, envie o comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

spot_imgspot_img

Últimas notícias

Receba o ebook "Os primeiros investimentos" GRATUITAMENTE

Basta carregar no botão abaixo

Artigos Relacionados

spot_imgspot_img