A posição dominante da China em relação à exploração de lítio

A procura constante por lítio não é uma novidade mas a inovação que tem sido realizada para aumentar as opções de veículos elétricos tem vindo a evidenciar a importância da sua exploração. O lítio não é apenas utilizado para baterias de carros elétricos mas também para devices que usamos diariamente como são os 00smartphones, computadores e tablets e desta feita, a China está um passo à frente no que à exploração diz respeito.

No Relatório Energético Mundial de 2022, a Agência Internacional de Energia revelou que a China possui 60% da exploração do lítio químico existente no Mundo. Do mesmo modo, a potência chinesa produz 75% das lithium-ion batteries. Estes dados revelam a posição dominante que a China possui em relação aos restantes países com hectares de exploração, demonstrando a sua importância na inovação das baterias utilizadas nos veículos elétricos, atualmente em expansão em termos de autonomia e capacidade. Os Estados Unidos da América, por exemplo, estão a realizar esforços para reduzir a sua dependência em relação ao fornecimento de lítio provindo das imediações chinesas, uma vez que a expansão automóvel assim o exige.

Segundo Simon Clarke, CEO da American Lithium Corp, este demonstra-se reativo perante o ritmo de exploração da China. “ Eu penso que os chineses, é necessário tirar-lhes o chapéu, eles estão a avançar com um ritmo elevado. Nas recentes décadas, a China tem vindo a explorar os melhores ativos do Mundo e, silenciosamente, têm produzido e desenvolvido conhecimentos nas tecnologias diretamente associadas ao lítio, obtendo agora um ritmo difícil de acompanhar por parte dos EUA.”

A Presidente da Comissão Europeia, Ursula Von Der Leyen, durante um discurso prestado em conferência, referiu também a importância da exploração de lítio, expressando que “ futuramente, o lítio deverá ser mais importante que o petróleo e o gás natural”.

As batérias elétricas são um ponto de interesse para a Europa e desta forma, várias empresas estão a realizar projetos de investimento centralizados que permitam assegurar as reservas de fornecimento. O facto da exploração estar maioritariamente alocada na China, permite que os custos de transporte sejam consequentemente mais elevados, sendo que a redução da dependência é um objetivo da União Europeia. 

Por exemplo, nas imediações de Paris, a Imerys, uma empresa multinacional francesa especializada no processo de minerais industriais, está a planear implementar um plano de desenvolvimento e expansão de lítio. O Reino Unido também se encontra a realizar esforços nesse sentido através da construção da primeira refinaria a alocar no norte de Inglaterra. 

A procura é exigente e as batérias elétricas são cada vez mais importantes para as marcas automóveis. A estratégia de realizar o veículo elétrico mais competitivo, com autonomias cada vez mais extensas e aprimoradas, é o objetivo das marcas e isso só será possível caso a exploração de lítio seja igualmente cada vez mais eficiente e ecológica.



spot_imgspot_img

DEIXA UM COMENTÁRIO

Por favor, envie o comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

spot_imgspot_img

Últimas notícias

Subscreve a nossa Newsletter

Com o resumo das nossas notícias

Artigos Relacionados

spot_img