A Noruega ultrapassa a Rússia e torna-se no maior fornecedor de gás natural da Alemanha

Com a diminuição dos envios de gás natural da Rússia para a Alemanha e o aumento das exportações deste recurso entre a Alemanha e a Noruega, o país nórdico tornou-se agora o maior exportador de gás para a Alemanha.

Desde o início da guerra na Ucrânia a Rússia tem diminuído as suas exportações de gás natural para a União Europeia, fazendo com que vários países tenham de racionar o seu consumo de energia e começar a procurar alternativas para o inverno que brevemente chegará.

Vários países como os países Bálticos, os Países Baixos e a Polónia viram suspensos os envios de gás por parte da Rússia, com a empresa estatal Gazprom a fechar as torneiras que faziam com que o gás chegasse a estes países, fazendo com que seja fulcral primeiro o racionamento ao máximo do consumo deste recurso durante o verão, e ainda a procura de alternativas que permitam substituir a dependência da Rússia no que toca à energia.

Um dos países mais afetados é a Alemanha que no início deste ano tinha a sua dependência russa de gás próxima dos 60% e tem encontrado vários problemas para que consiga aumentar as suas reservas, tendo já começado a reativar o funcionamento das suas centrais a carvão e tomado medidas de restrição do uso do gás natural, com a diminuição a diminuição da intensidade da sua iluminação pública e ainda o racionamento da quantidade de água quente consumida nas habitações dos alemães.

Para isso, o país liderado por Olaf Scholz tem contado com a “preciosa” ajuda da Noruega, o maior produtor de gás natural da Europa. O país tem enviado o máximo de gás natural que consegue para a União Europeia, tendo mesmo já ultrapassado a Rússia na quantidade de gás natural que chega à Alemanha.

Apesar de desde fevereiro a superávit da balança comercial norueguesa se encontrar em valores recordes, um grande problema poderá estar a aproximar-se, esta expansão tem colocado a Noruega no seu limite máximo de produção de gás, sendo necessário uma expansão para conseguir responder ao elevado aumento que a procura por este recurso tem registado na Europa.

Segundo declarações de Jonas Gahr Støre, o primeiro ministro da Noruega, o país não conseguirá aumentar muito mais as suas exportações de gás natural para a UE, devido à estar próximo de atingir o seu limite no que toca à produção deste recurso, sendo que uma expansão na produção terá de ser realizada pelas empresas encarregadas pela extração de gás natural do subsolo norueguês e não pelo governo do país. No entanto, este refere que a Noruega continuará a exportar para a União Europeia o máximo de gás natural que conseguir.

Autor: Mário Costa

spot_imgspot_img

DEIXA UM COMENTÁRIO

Por favor, envie o comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

spot_imgspot_img

Últimas notícias

Subscreve a nossa Newsletter

Com o resumo das nossas notícias

Artigos Relacionados

spot_img